Política

SANDOLÂNDIA: Vice na chapa de Radilson Lima responde processo por assalto a ônibus na BR-153

Primeira decisão do juiz da comarca de Miracema condenou Luciano Barreto Alves a 5 anos e 4 meses em regime semiaberto, além de multa.

  • Publicado em 05/Dez/2018 às 17h56 ( atualizado às 10h22).

Por Claudemir Brito
Especial para a redação

Foto: Redes Sociais

Primeira decisão do juiz da comarca de Miracema condenou Luciano Barreto Alves a cinco anos e quatro meses em regime semiaberto, além de multa. Decisão foi anulada após erro processual, mas novo julgamento deve acontecer e condenação da primeira sentença poderá ser mantida. 

A notícia de que o candidato a vice-prefeito pela "Coligação Avante Sandolandia" (PSC, PSB), Luciano Barreto Alves é réu em um processo criminal baseado no artigo 157 movimentou os bastidores e deixou o eleitorado da pacata Sandolândia apreensivo na reta final da eleição suplementar.

Segundo informações apuradas pelo portal www.claudemirbrito.com.br, na Ação Penal nº 5000958-27.2012.827.2725, de 2012, o Ministério Público ofertou denúncia em desfavor de Luciano Barreto Alves e Wesley Monteiro da Silva, pelo crime de roubo qualificado por emprego de arma de fogo – Artigo 157 do Código Penal.

Em 2007, o agora candidato a vice-prefeito Luciano Barretos Alves, com a ajuda de quatro a seis comparsas, teria segundo o Ministério Público, na madrugada do dia 15 de abril, no km 438, no município de Miracema-TO, utilizado um veículo oficial do Governo Federal para praticar assalto a um ônibus de passageiros que trafegava pela rodovia BR-153. 



Foto: Facebook

Luciano Barreto Alves (dir) é candidato a vice-prefeito na chapa encabeçada pela vereador Radilson Lima, na eleição suplementar que acontece em Sandolândia, após cassação do mandato da ex-prefeita Silvinha Silva (PR).
 

De acordo com as testemunhas ouvidas em juízo, Luciano Barreto Alves foi reconhecido por passageiros como um dos integrantes da quadrilha que praticou o assalto ao ônibus. 

Detalhes sobre o andamento da Ação Penal nº 5000958-27.2012.827.2725 no link veja aquihttps://bit.ly/2AXMW6D


Uma das vítimas, relatou em seu depoimento, que um veículo Tempra cor preta placa oficial do Governo Federal, com seis a oito homens munidos de espingardas, revolveres e pistolas interceptou o ônibus que ela estava. Quando os assaltantes entraram no ônibus, a vítima relatou que teve a quantia de R$ 350,00 reais e um relógio subtraído e de ter presenciado os demais passageiros serem agredidos e ameaçados pelo grupo.
 

Fotos: redes sociais/arquivo

 



Veículo oficial do Governo Federal, e que segundo testemunhas, teria sido usado no assalto ao ônibus de passageiros era utiizado pela Fundação Nacional do Indio-Administração Executiva Regional de Gurupi. 

Para o Ministério Público não há dúvidas que Wesley e Luciano praticaram o crime descrito no artigo 157 do Código Penal.

Sentença e nulidade
O juiz Drº Marcello Rodrigues de Ataídes, fixou pena de 5 anos e 4 meses de reclusão em regime semiaberto, além de multa de 1/3 do valor do salário mínimo contra Wesley Monteiro da Silva e Luciano Barreto Alves, mas a decisão proferida pelo magistrado foi anulada por que uma testemunha deixou de ser ouvida no processo.

A justiça espera ouvir essa testemunha para dar uma nova sentença. A condenação da primeira sentença poderá ser mantida.

 




Veja nos links abaixo a íntegra da denúncia feita pelo Ministério Público e o inquerito policial contra Luciano Barreto Alves, candidato a vice-prefeito na eleição suplementar em Sandolândia.

https://drive.google.com/file/d/1_zm7ZV2qe6AGY7l07kvv1n0Hzid03zj2/view

https://drive.google.com/file/d/1_PMD5Qu7Afw8pnMooJd06Xayt_TpLE_t/view

https://drive.google.com/file/d/16_VLF4uW5710Ist8HBAiIg5RANPtCA_a/view


https://drive.google.com/file/d/1RDdzL3LquAT1deHdrLuuOXf3News6aRl/view

https://drive.google.com/open?id=1RDdzL3LquAT1deHdrLuuOXf3News6aRl

https://drive.google.com/open?id=1-ssug9fvzAP-voDDGhRDHmLV5v6m1Lh4