Tocantins

MPE/TO discute estratégias para incluir adolescentes aprendizes no mercado de trabalho

  • Publicado em 11/Mar/2019 às 21h54 ( atualizado às 21h55).



Mobilizar o setor empresarial a cumprir a Lei do Aprendiz, que dispõe sobre a obrigatoriedade de empresas de grande e médio porte contratarem adolescentes jovens com idade entre 14 e 24 anos de idade, foi a pauta, nesta quinta-feira, 07, do 6º encontro da comissão técnica formada por diversas instituições, entre elas o Ministério Público Estadual (MPE), que coordena os trabalhos.


O Promotor de Justiça Sidney Fiori Júnior, coordenador do centro de Apoio Operacional Infância, Juventude e Educação (Caopije), que conduziu as discussões, relatou as articulações empreendidas no ano de 2018, que resultaram na inclusão de 12 adolescentes da capital no mercado de trabalho. Segundo ele, a meta para este ano é alcançar adolescentes em todo o Estado, devendo ser priorizados os adolescentes em acolhimento institucional, os adolescentes do sistema socioeducativo e os resgatados do trabalho infantil.

Os envolvidos apontaram como um problema a dificuldade no acesso desses jovens às oportunidades e em sua manutenção no emprego, motivos pelos quais deve haver melhor preparação para garantir a permanência. Nesse ponto, foi consenso a necessidade de se criar um programa de preparação dos adolescentes antes desses jovens se dirigirem às empresas.

Participaram da reunião o promotor de Justiça da Infância e Juventude Konrad Wimmer e os representantes do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), Rede Nacional de Aprendizagem Promoção Social e Integração (Renapsi), Centro de Integração Escola Emprego (CIEE), Secretaria Estadual da Educação, Secretaria da Cidadania e Justiça, Juizado da Infância e da Juventude da Capital e Secretaria de Trabalho e Ação Social. (Denise Soares)


Fonte: MPTO