Goiás

Dona da empresa Brasil e Serviços acusa Genilto de extorsão: "pediu R$ 1 milhão para retirar denúncia"

“Me pediram R$ 1 milhão para retirar a denúncia”, diz empresária dona de empresa responsável por limpeza em Porangatu

  • Publicado em 14/Jul/2019 às 22h09 ( atualizado às 00h30).

O portal www.claudemirbrito.com.br teve acesso ao depoimento de Michelly Cristine da Silva Andrade aos membros da Comissão Especial de Inquérito – CEI, instaurada pela Câmara de Porangatu, referente as supostas irregularidades na contratação da empresa Brasil e Serviços Eirele-Me responsável pela limpeza pública no município.

Segundo informações da Ata de reunião, a empresária Michilly Cristine disse que o ex-vereador Genilto Carlos Pinto autor da denúncia, entrou em contato solicitando que a mesma viesse até Porangatu para se encontrar com os vereadores antes que a CPI fosse aberta. Ao chegar na cidade, a empresária constatou que não existia nenhuma reunião agendada e ouviu do denunciante a proposta de pagamento de R$ 1 milhão para evitar o andamento das investigações.

Ao ouvir a negativa da empresaria, o ex-vereador Genilton, tentou em outra oportunidade, visitando a sede da empresa, onde abaixaram o valor para R$ 600 mil.

Os membros da comissão requisitaram possíveis gravações, vídeos ou fotos do momento em que o ex-vereador pediu propina para retirar a denúncia, e a empresária disse, segundo informações da Ata, que irá fornecer todo o material para a comissão.

Veja trechos do depoimento da empresária realizado na Câmara de Porangatu.