Tocantins

Após seis meses de curso, estudantes Formoso do Araguaia descobrem que instituição de ensino não tem autorização para atuar

Vários moradores de Formoso do Araguaia começaram o curso de técnico em enfermagem e tiveram que reembolsar R$ 1,7 mil em seis meses. O Instituto Projetins disse que é regular e que lamenta as denúncias.

  • Publicado em 08/Nov/2019 às 20h28 ( atualizado às 20h31).

Estudantes denunciaram uma instituição de ensino ao Ministério Público Estadual após descobrir que a empresa não era reconhecida e não tinha autorização do estado para ofertar cursos. Vários moradores de Formoso do Araguaia, sul do Tocantins, começaram o curso de técnico em enfermagem com o sonho de se qualificar para o mercado de trabalho, mas depois de seis meses descobriram a irregularidade.

Os alunos precisariam estudar por um ano e meio para atuar. Mas os planos viraram decepção. Cada estudante teve que reembolsar cerca de R$ 1,7 mil por seis meses de aula. Agora o curso foi suspenso até que o processo de autorização seja realizado. "Só gostaria que, ou eles regularizassem o curso logo, ou devolvesse nosso dinheiro", disse a aluna Lidiane Vieira.

Logo que desconfiaram da irregularidade, os alunos procuraram ajuda. "Nós ligamos para o conselho, corremos atrás, soubemos que não estava regularizado, não estava autorizado, como até não está. E a gente foi no Ministério Público", explicou Diane Pereira.

Nos últimos meses, a estudante Magnalva Barbosa que mora na zona rural da cidade fez de tudo para realizar o sonho interrompido há 14 anos. Ela queria continuar os estudos e se tornar uma técnica em enfermagem. "São seis meses largando casa, meus filhos pequenos".

O Ministério da Educação explicou, em nota, que pela lei cabe ao estado autorizar, reconhecer, credenciar, supervisionar e avaliar os cursos e estabelecimentos de ensino.

A produção da TV Anhanguera procurou a Secretaria Estadual da Educação, o qual confirmou que o Instituto Projetins Rogério Lunas Rodrigues não é credenciado e que nenhum dos cursos oferecidos por ele tem autorização. E ainda, que depois da denúncia dos alunos, foi até o local, que esteve sempre fechado.

O Instituto Projetins disse que é regular e que lamenta as denúncias. Disse ainda que está com toda documentação para entregar à secretaria da educação até o fim do mês. O Ministério Público Estadual instaurou um procedimento para apurar o caso e notificou a instituição de ensino. Fonte G1 TO