Tocantins

Ex-governador Marcelo Miranda vai estar no palanque de Gutierres Torquato em Gurupi

  • Publicado em 11/Sep/2020 às 14h32 ( atualizado às 14h50).



Ex-governador Marcelo Miranda (Frederick Borges/Secom TO) e pré-candidato a prefeito Gutierres Torquato. 

Marcelo Miranda, que reassumiu depois de ser preso pela PF acusado de prejuízos de R$ 300 milhões ao Estado, imperou a força do ex-governador que entregou o partido para o grupo de Torquato que indicou seu irmão Thiago Torquato para presidir a comissão provisória da sigla em Gurupi.

O ex-governador do Tocantins Marcelo Miranda reassumiu o comando do diretório estadual do MDB. Ele deve ficar à frente do partido e coordenar as candidaturas dos filiados nas eleições municipais marcadas para novembro. O político estava preso até o começo de fevereiro por causa de uma investigação da Polícia Federal e tinha sido afastado da presidência do partido após a detenção.

Marcelo Miranda ficou 147 dias preso. Ele é investigado pela Polícia Federal na operação 12º Trabalho, desdobramento da operação Reis do Gado. Ele foi solto por decisão do ministro Alexandre de Morais, do Supremo Tribunal Federal.

Atualmente, o MDB tem a maior bancada na Assembleia Legislativa do Tocantins, com cinco - Todos eles são da base do governo na Assembleia, dos 24 deputados estaduais. Em Brasília, o partido tem uma deputada federal e um senador entre os representantes.

Gurupi
O ex-governador Marcelo Miranda venceu a disputa interna com os deputados mdebistas e colocou o partido nas mãos de Gutierres Torquato (PSB), que indicou o seu irmão, Thiago Torquato, na presidência da comissão provisória depois de destituir Dolores Nunes do cargo.

A queda de braço estava acontecendo entre deputados que pretendiam apoiar a pré-candidatura de Josi Nunes (PROS) em Gurupi.