Tocantins

ANÁLISE: Como uma gestão de excelência pode beneficiar a sociedade tocantinense

  • Publicado em 15/Jul/2022 às 16h24 ( atualizado às 16h40).



O advogado Cláudio Alex presidiu o Detran-TO por dois anos, tempo suficiente para o Tocantins ser referência em todo o país. Foto: Divulgação

Hoje, vamos chamar a atenção da sociedade tocantinense fazendo uma observação bem rápida sobre a gestão de um órgão público estadual, neste caso, o Departamento Estadual de trânsito do Tocantins - DETRAN.

Vejamos que, na gestão anterior, graças ao bom atendimento e a seriedade como era tratada o bem público, era possível proporcionar aos usuários que procuravam o órgão, a oferta de serviços de qualidade. O DETRAN-TO deixou de ser palco da mídia negativa, e avançou em vários sentidos, com a implantação dos processos digitais, o atendimento com hora marcada; a criação de uma delegacia de roubos e furtos de veículos dentro do órgão, a implantação do documento digital; havia critérios nos credenciamentos, celeridade e excelência nos atendimentos, abertura de novas unidades para facilitar a vida das pessoas - como o Palmas Shopping (sem custos para o Estado, planejamento e estudos para a implantação de novas provas eletrônicas, estudo sobre a implantação da telemetria, sem contar outras melhorias em unidades da entidade, espalhadas pelo interior. Sem falar que foi o único DETRAN a não parar o atendimento em todo o país durante a pandemia.

O Tocantins foi inserido no Cenário Nacional, pois na época seu presidente, o advogado Cláudio Alex, assumiu a vice-presidência da Associação Nacional dos DETRANS (AND) para a região Norte do Brasil, e com isso, foi possível trazer para o Estado, a realização do Encontro Nacional dos Detrans, sendo a primeira reunião nacional da AND, realizada fora de Brasília – DF.

O Tocantins passou a ter acesso direto ao SENATRAN (antigo DENATRAN), facilitando o trabalho dos servidores, e da sociedade como um todo, nas resoluções das demandas.

Agora, analisemos o retrocesso que foi a gestão no DETRAN nos últimos 09 meses:

Processos parados,
Falta de planejamento,
Caos nos atendimentos,
Faltando coisas simples como papel A4 e álcool em gel.
Credenciamentos feitos sem critérios.

A Instituição voltou a aparecer na mídia negativa, infelizmente.

Um órgão bem gerido, é um presente do governo para a sociedade tocantinense.

Empresas, concessionárias, e população há meses sem poder registrar um contrato de financiamento, é inaceitável. 

Vejamos agora quem terá a tarefa, e se terá a competência de reorganizar o DETRAN-TO novamente.

Aguardemos!